Técnicos do IPT analisam pavimento que recebeu o cimento verde

Após três meses da entrega do trecho de 211 metros da rua Miguel Biondi, no bairro Torres Tibagy, que recebeu o projeto experimental cimento verde, técnicos do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) retornaram ao local nesta terça-feira, 6, para realizar as medições no pavimento da via.

O ensaio das deflexões do pavimento tem por objetivo principal aferir o comportamento dos materiais utilizados na pavimentação. Para realizar o teste foi utilizado um caminhão de 8 toneladas para simular o tráfego na via.

Após as medições, o IPT deverá apurar os resultados que serão encaminhados à Proguaru.

Projeto – A Miguel Biondi foi escolhida para receber o projeto experimental que utiliza resíduos de construção civil em pavimento urbano, mais conhecido como cimento verde.

O trecho de 211 metros da via foram divididos da seguinte maneira: trecho 1 – brita reciclada mais cimento verde; trecho 2 – brita graduada mais cimento verde; trecho 3 – brita graduada tratada com cimento; e trecho 4 – brita graduada simples.

O uso da tecnologia é uma parceria entre a Proguaru, IPT (Instituto de Pesquisas Tecnológicas) e a empresa InterCement. Segundo especialistas, é considerado um material com ganhos econômicos e ambientais.

A Usina Recicladora da Proguaru serviu como base para a mistura da brita reciclada e da brita graduada com o cimento verde. Todo o processo foi realizado com o auxílio de uma autoconcreteira cedida pela empresa Fiori do Brasil.

O desenvolvimento da nova tecnologia conta com recursos na ordem de R$ 5 milhões, oriundos de um fundo do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) e da InterCement.

Crédito da foto: Divulgação/Comunicação Proguaru

Share this post